Educação na pauta do intercâmbio Brasil – Japão

Sempre publicamos o sumário desta pesquisa em português e a apresentamos também na reunião do governo. Em fevereiro e março do ano passado estive no Brasil, juntamente com o pessoal do Ministério da Educação e Ciência do Japão, na Secretaria Estadual de Educação de São Paulo e no Ministério da Educação, onde participamos de reuniões e trocamos ideias. Na segunda quinzena de outubro fizemos reuniões com a participação de ambos os países, ocasião em que pudemos sentir o reflexo do resultado da pesquisa.

Em 2005 e 2006, o Ministério da Educação e Ciência realizou uma pesquisa sobre crianças que se recusavam a frequentar a escola nas 18 cidades e, publicou que em todo o território japonês 112 crianças não frequentam a escola. Entretanto, acredito que a pesquisa da cidade de Oizumi está mais fácil de compreender, isso porque está há detalhes de onde e se as crianças estudam ou não.

Retirado dos Anais do Simpósio Internacional Comemorativo do 15º Aniversário da Constituição do CIATE

Megumi Yuki

Professora da Faculdade de Educação da Universidade de Gunma

Inicialmente quero apresentar minhas felicitações pelo 15º aniversário de fundação do CIATE, e meu profundo respeito pela dedicação do presidente Masato Ninomiya e de todas as pessoas envolvidas, que se esforçaram, no decorrer de todos esses anos, a fim de assegurar as oportunidades de trabalho tranquilo e adequação do ambiente de trabalho aos nikkeis no Japão.

Retirado dos Anais do Simpósio Internacional Comemorativo do 15º Aniversário da Constituição do CIATE – 2009

Helena Keico Sato

Diretora Técnica da Divisão de Imunização da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo

Primeiramente, quero agradecer o convite para proferir esta palestra sobre vacinas. Trabalho nesta área, de nível federal, há 20 anos, e há três anos como diretora desta divisão, que coordena as atividades de vacinação no Estado de São Paulo.

As regras do imposto de renda

Agora, quero falar um pouco sobre a regra do imposto de renda para essas poupanças. O brasileiro, no ano seguinte após a saída do Brasil, anualmente, deve passar a fazer a declaração para a Receita Federal como ausente, portanto, isento de imposto de renda. Assim procedendo, manterá válido o seu número do CPF. É uma providência bem simples, e fácil de ser feita pela internet. Então, nós que estamos morando no Japão, todo o ano, pelo site da Receita Federal, declaramos estar ausento no país e, com isso, conseguimos manter o número do CPF e, consequentemente, manter operativa nossa conta aqui, no Brasil, que também poderá ser movimentada via internet.

Abertura de conta de poupança

Sobre a abertura de conta de poupança no Japão, somente três instituições estão operando com agência no Japão e permitem esse tipo de serviço: Banco do Brasil, Banespa e Itaú. O interessado deve possuir o documento de identidade de estrangeiro no Japão, que é o gaijin toroku, e uma provo de enderenço de residência no Japão, documentação esta exigida por todos os bancos.