O governo de cada provincia criou para os estrangeiros uma linha direta para informações sobre o Covid 19.

Nessas linhas podem tirar dúvidas sobre : saúde, trabalho, educação e status de imigração.

Atendimentos em Inglês, Português, Espanho, Chinês, Corean0, Vietnamita, Nepalês, Indonesio, Tagalo, Tailandes, Francês, Khamer, Birmanês

Horário das 10 ~ 17 horas, atendimento gratuita, tel. 0120-296-004

Veja mais detalhes no site : https://www3.nhk.or.jp/nhkworld/pt/news/280860/

 

 
 

Será realizada “Feira de Emprego” para os residentes com vistos permanente, de longa e média duração, ou de cônjuge, uma nova oportunidade de colocação na região de Aichi, reunindo empresários que desejam contratar estrangeiros.

 

Atendimentos em Inglês, Espanhol, Chinês, Português e Tagalog.

 

Para não sofrer restrinção na hora da entrada devido a pandemia, é sugerido fazer inscrição, para preencher o formulário de inscrição, veja link abaixo :

 

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfSfi7BZsUEr3GsF9ljrReWps3XdZ2wJDXB6xq7JgFlBmpauA/viewform

 

Para saber mais sobre a Feira de Emprego, o telefone é : 0566-88-0117 - Projeto de Facilitação para Contratações em Aichi

Os locais da feira e as datas seguem abaixo.

 

  1. Kariya: sábado, 30 de janeiro, 13h às 16h, no Kariya Industrial Promotion Center, Hall 401 
  2. Nagoia: sábado, 6 de fevereiro, das 13h às 16h, no Centro Internacional de Nagoia, Annex Hall

                No caso da disseminação da infecção pelo coronavírus se agravar o evento poderá ser cancelado.

O Ano Novo para os japoneses, tem significado familiar e celebração espiritual, um momento de reflexão sobre o ano que passou, renovar energias para o ano que está começando.

Costuma-se fazer faxina conhecido como "oosouji" (grande faxina), fisicamente e também espiritual para afastar toda negatividade.

Compatilha bons momentos com a famiia, assistindo no dia 31/12, o famoso programa musical Kohaku Utagassen da emissora de tv japonesa NHK, uma competição da equipe mascuina "shiro gumi" (equipe branca) e  equipe vermelha (aka gumi) que é equipe feminina. A equipe vencedora leva a bandeira de vencedor.

E comem o famoso macarrão "soba" de trigo sarraceno, para trazer boa sorte na passagem de ano.

Após apreciar a beleza do nascer do sol e se alimentar com um generoso café da manhã, vão visitar o templo para orar pedindo saúde, paz e proteção, compram o "Omikuji", uma espécie de oráculo com previsões de boa sorte.

As crianças ganham um envelope com dinheiro conhecido como "otoshidama"

Os japoneses mais tradicionais, ainda enviam o "nengajo", cartão postal de Ano Novo.

Outro costume é comer "Ozouni", uma sopa feito de shoyu com pedaçõs de mochi, também come se mochi grelhada com shoyu. Tudo isso para ter boa sorte !

Além do mochi, outro prato tradicional é o obento chamado "Osechi-ryouri" - vem ovas de arenque, kombu-maki (alga enrolado) omelete e broto de bambu.

Outra famosa tradição é a Cerimônia "Kokyo Ippan Sanga" - é uma cerimônia Oficial do Palácio Imperial, onde o casal imperial aparece na varanda do Palácio para felicitar a nação no Ano Novo.

Enfim, o Ano Novo é uma celebração familiar e espiritual, como o Natal é para os brasileiros!

 

A partir de amanhã 28/12/20 à 31/01/21, os estrangeiros não residentes não poderão entrar no país, devido a nova onda/cepa do covid 19.

Os japoneses e estrangeiros residentes poderão cruzar a fronteira, mas deverão apresentar o teste do covid negativo feito até 72 horas antes do embarque e cumprir a quarentena de 14 dias depois da chegada.

Na sexta-feira (25/12/20), teve caso de novo variante da covid 19, em passageiro que retornou do Reino Unido.

Segundo a pesquisa, Japão teve 3.823 novos casos na sexta feira 25/12/20, é um novo recorde diário de infecções pelo 3o. dia consecutivo.

Apesar da nova cepa do covid19 ser mais fácil de ser contagiosa (50 ~70%), não foram detectadas mudanças significativas no agramento da doença, é mais rápido de espalhar, mas não é mais grave.

Por isso, os pesquisadores explicam que, apesar da surgirem as novas cepas, as vacinas descobertas até agora vão surtir efeito do mesmo jeito.

(Ufa, menos mal....)

PROJETO DE ATENDIMENTOS PSICOLÓGICOS ON-LINE E GRATUITO PARA BRASILEIROS QUE MORAM NO JAPÃO

Com o objetivo de amenizar os impactos da pandemia na saúde mental dos brasileiros residentes no Japão, a ONG ALECE, de Takaoka – Toyama, oferece um serviço de atendimento psicológico aos brasileiros que moram em qualquer lugar do Japão. Esse atendimento será feito on-line, via Whatsapp, Facetime ou Skype ou outros meios seguros de videochamadas.

Os interessados devem agendar o dia e o horário de preferência, na tabela oferecida. Os atendimentos serão feitos por três psicólogas clinicas que atuam na cidade de São Paulo e possuem conhecimentos da realidade dos brasileiros que moram no Japão.

Os atendimentos são voltados para crianças, adolescentes e/ou adultos. Eles têm uma duração aproximada de uma hora, dependendo dos casos e das necessidades. Poderão ser sessões de orientação, informação ou mesmo de apoio emocional em formato de terapia breve.

Atendimento psicológico on-line e gratuito!!!

Em português com profissionais do Brasil

Inscrições na página do

ALECE (TAKAOKA)

www.alece.org

OU

Direto com as psicólogas:

Kyoko: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(11) 99963 5145

Yuri: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(11) 99354 6828

Kiyomi: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(11) 94227 8833

Confira os horários disponíveis na página do ALECE

Foi entregue ao Cônsul Geral Ministro Ernesto Rubarth, pelas mãos das crianças do Jardim da infancia Sanaru Yochien situado em Nishi-ku,  as doações  para serem distribuidos aos brasileiros desempregados devido Covid 19.

Iniciativa foi do Hamamatsu Iwata Shinyo Kinko, coletaram do próprios funcionários do banco  e dos pais dos alunos da escola, para ajudarem brasileiros que perderam empregos devido o Covid 19.

Crianças na idade de 3 a 5 anos, passaram as doações para o Cônsul Geral brasileiro, onde ele agradeceu :

"Muito agradecido. O Brasil está longe, do outro lado do Japão, mas gostaria que essa conexão perdure no coração de vocês"

O curso de japonês da da Associação Internacional de Handa, os brasileiros que eram a minoria começou a aumentar. Maioria eram vietnamitas.

Muitos trabalhavam em serviços que não exigia o conhecimento do idioma japonesa, mas devido a crise de Covid 19, perderam empregos e agora, precisam estudar japonês para que tenham mais facilidade numa colocação.

Em setembro passado retornaram as aulas, havia sido suspenso até então devido a pandemia. 

Na cidade de Handa, vivem 4,2 mil estrangeiros, 40% são brasileiros. Atualmente os brasileiros representam 50% dos alunos nas aulas de japonês da Associação.

Alé dos cursos de idioma japonesa, os professores orientam sobre os costumes do dia a dia da vida no Japão.

 

Dia 21/11 - 20h (Horário do Brasil) 22/11 - 08h (Horário do Japão)

Trabalho no Brasil: conversa com pessoas que retornaram do Japão 

Link: https://youtu.be/Qq0vTn77RXk

Participantes do Painel:

Carlos Uemura - Sócio Proprietário da Uemura Estética

Pamela Nagano - Recursos Humanos e Tradutora

Paula Ono - Empreendedora na Mamys Faz Arte

 

 

Dia 22/11 - 08h (Horário do Brasil) 22/11 - 20h (Horário do Japão)

Educação no Brasil : Filho de dekasseguis estudando em universidades brasileira

Link: https://youtu.be/Rk5i1jYKCFk

Participantes do Painel:

Stephanie Hosaka - Relações Internacionais UNESP

Tayna Hatori - Letras Português e Japonês USP

Rafael Igarashi - Análise e Desenvolvimento de Sistemas UNIP e MBAs na USP

 

Na segunda quinzena de novembro eu JOSÉ VANZELLI dar um curso no Museu de Imagem e do Som (MIS), em SP, sobre representações do Japão nas artes, o que chamam de "Japonismo". Serão 4 aulas de duas horas, dadas em três semanas (3 terças-feiras e 1 sexta). O curso vai ser online, pelo Zoom 

 

preview

REGULAMENTO DO

Concurso Bunkyo-Ciate

DEKASSEGUI 30 ANOS: NOSSAS VIVÊNCIAS

 

1 – Do Concurso

O presente Concurso foi organizado como uma das atividades complementares da série de lives sobre os “30 Anos da Comunidade Brasileira no Japão”, transmitida de 6 a 22 de novembro de 2020 pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo e pelo CIATE – Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior.

Essas lives contam com a participação de autoridades, estudiosos e decasséguis do Japão e do Brasil e têm como referência os 30 anos após a mudança da legislação nipônica, em 1990, que concedeu o visto de trabalho aos descendentes de japoneses.

O Concurso lançado em 6 de novembro de 2020, data da abertura da série, prosseguirá até o dia 28 de dezembro de 2020.

 

2 – Do Objetivo

O Concurso tem como objetivo incentivar a expressão da rica experiência humana vivida nesses 30 anos do movimento decasségui.

Pretende documentar a memória dos numerosos personagens dessa trajetória histórica refletindo os diferentes aspectos das significativas influências sócio-econômica-culturais nos países da América Latina e no Japão.

 

3 – Do Tema

O Concurso terá como tema “Decasségui 30 Anos: Nossas Vivências”, e deverá abordar situações que envolvem as experiências do dia-a-dia, as reflexões das vivências no Japão e/ou Brasil, ou as outras passagens que considerar relevantes nesta trajetória de 30 anos.

 

4 – Do Formato

O Concurso escolheu o formato de “diário ilustrado” que, no Japão, é chamado de “enikki”.

Trata-se de um formato adotado no ensino fundamental do Japão com a finalidade de incentivar a prática da redação entre os alunos. Por exemplo, é comum os professores adotarem a confecção do enikki como tarefa de férias aos seus alunos. Assim, além de diariamente criar determinada ilustração, o aluno deverá montar uma redação referente ao tema.

Há indícios que o enikki era utilizado desde a Era Heian (794/1185) como uma maneira de a nobreza descrever acontecimentos passados e/ou registrar as paisagens de suas viagens.

Também, foi muito empregado por cientistas e estudiosos para ilustrar costumes e culturas diferentes de outros países.

Atualmente, há um grande incentivo para que, não somente as crianças, como também os adultos adotem o enikki como forma de expressão. Ou seja, a ilustração como complemento das palavras para melhor expressar os pensamentos e/ou sentimentos.

Assim, este Concurso, de forma inédita, por meio de um formato adaptado do enikki, pretende estimular os decasséguis a manifestar suas experiências – que podem ser alegres, tristes, frustrantes, estimulantes, revoltantes, etc, etc. – como um documento vivo desses 30 anos da comunidade brasileira no Japão.

Enfim, pretende que a expressão desses sentimentos seja por meio do enikki, uma técnica tradicional japonesa que, certamente, é largamente conhecida dos brasileiros que moraram (e moram!) no Japão.

 

5– Dos Participantes

O Concurso é aberto a todas as pessoas, de qualquer idade, residentes no Brasil ou no Exterior.

Cada autor poderá inscrever apenas 01 (uma) obra.

Não poderão participar deste Concurso os diretores, membros da Comissão  Organizadora e funcionários do BUNKYO e CIATE.

 

6 – Da apresentação do enikki

a) o texto deve ser redigido em português e versar sobre o tema proposto.

b) O título da obra deve ser colocado na primeira linha do trabalho.

c) A obra deve ter no máximo 5 (cinco) páginas (formato A4 – 210 x 297 cm) incluindo texto e ilustrações já devidamente montados.

d) Não será necessário o uso do tradicional “genko yoshi” (papel quadriculado) usado na apresentação do enikki. A quantidade de ilustrações (bem como sua dimensão) fica a critério do participante, bem como a quantidade de caracteres do texto, desde que não extrapole o total de 5 (cinco) páginas.

e) A obra deverá ser apresentada obrigatoriamente junto com a ficha de inscrição devidamente preenchida e acompanhada da foto (tamanho 3x4 em alta resolução) do participante.

f) A obra deve ser inédita em quaisquer das formas de mídia possíveis. Entende-se por inédita, a obra que não foi editada, nem publicada parcialmente ou em sua totalidade em livros, antologias, coletâneas, jornais revistas, ou qualquer meio de comunicação, incluindo as redes sociais.

g) O texto deve estar devidamente revisado. As palavras em língua  estrangeira  devem ser grafadas em  itálico, e aquelas não dicionarizadas devem ter seu significado explicado em nota de rodapé ou glossário ao final do texto.

 

7 - Do Envio dos trabalhos

Os trabalhos deverão ser enviados por meio digital acompanhada da Ficha de Inscrição devidamente preenchida no email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

8 – Da Inscrição

A inscrição é gratuita e será feita mediante o completo preenchimento da Ficha de Inscrição no modelo anexo e encaminhado no prazo estabelecido (28 de dezembro de 2020). Deverá enviar também, em anexo, uma foto recente, tamanho 3x4, do participante.

 

9 – Do Julgamento

a) O julgamento ficará a cargo de uma comissão julgadora que terá inteira autonomia de avaliação, composta por 5 (cinco) membros nomeados pela Comissão Organizadora do concurso.

b) Competirá a Comissão Organizadora fixar prazo para os trabalhos da Comissão Julgadora, proclamar o resultado e anunciar o nome dos escolhidos para a premiação.

c) Os trabalhos de julgamento correrão em regime de sigilo.

 

10 – Da Irrecorribilidade do julgamento

Do resultado do julgamento, não caberá recurso.

 

11 – Da Responsabilidade pela autoria

Os concorrentes assumem inteira responsabilidade pela autoria da obra que apresentarem, e respondem pela violação dos direitos autorais de terceiros, que praticarem.

  

12 – Da Licença

Os concorrentes concedem à Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO) uma licença gratuita, mas não exclusiva, pelo período de 10 (dez) anos, para eventual publicação, isolada ou em antologia, facultado ao uso de qualquer modalidade de mídia. 

 

13 – Da Classificação e Premiação

a) O autor do trabalho classificado em 1º lugar será premiado com um computador notebook (que não poderá ser revertido em dinheiro) e receberá um diploma de Honra ao Mérito emitido pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo e pelo CIATE – Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior.

b) Os autores dos cinco melhores trabalhos receberão diplomas de Honra ao Mérito emitidos pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo e pelo CIATE – Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior.

c) Os melhores trabalhos indicados pela Comissão Julgadora farão parte de uma Antologia alusiva aos 30 anos da comunidade brasileira no Japão a ser publicada pelas entidades organizadoras do evento.

 

14 - Da Comissão Organizadora

 A Comissão Organizadora terá poderes para não aceitar inscrições, ou para desclassificar contos que estejam em desacordo com este Regulamento. Também para decidir casos omissos ou dúvidas surgidas, emitir instruções e adotar outras medidas que julgar adequadas ou necessárias para o bom andamento do concurso. Das decisões da Comissão não caberá recurso.

 

************************************

 

 

Código de identificação (espaço destinado aos organizadores): .........................................

 

FICHA DE INSCRIÇÃO

 

Nome completo ....................................................................................

 

Nome literário (se tiver) ........................................................................

 

RG/RNE nº.......................................CPF nº .........................................

 

Endereço ..............................................................................................

..............................................................................................................

 

CEP.........................Cidade...................................................UF...........

 

E-mail: ..................................................................................................

 

Telefones: (....)..................................Celular (....).................................

.

Título da obra:

..............................................................................................................

 

Importante: anexar uma foto 3x4 em digital, alta resolução

 

Solicito a minha inscrição ao

 Concurso Bunkyo-Ciate - DEKASSEGUI 30 ANOS: NOSSAS VIVÊNCIAS estando de acordo com os termos do seu Regulamento.

 

Declaro que a obra apresentada é inédita, e de minha autoria.

 

Data: ..................................................................

 

Assinatura: .........................................................

 

Breve currículo do autor:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Concurso: Memória dos 30 Anos da Comunidade Brasileira

Instituído o Concurso Bunkyo-Ciate: “Decasségui 30 Anos: Nossas Vivências”, em formato de “enikki” (diário ilustrado) e que oferece um notebook ao vencedor.

Ao iniciar o planejamento da serie de lives sobre os “30 Anos da Comunidade Brasileira no Japão”, queríamos complementar com algo que fosse especial e pudesse marcar esse evento.

Quem afirma é Rodolfo Wada, presidente da Comissão Projeto Network, responsável pela coordenação do evento em parceira com o CIATE – Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior.

Assim surgiu a proposta de um concurso destinado a documentar e “rica experiência humana vivida nesses 30 anos do movimento decasségui”, destaca.

A proposta é a de utilizar o formato de “diário ilustrado” que, no Japão, é conhecido como “enikki” e tem uma história que vem desde a Era Heian (794/1185).

“Esta é uma experiência muito especial, própria de quem viveu no Japão por certo tempo, seja como estudante, seja acompanhando os estudos das crianças”, afirma Yoshio Yoshizane, integrante da Comissão Organizadora e que estudou e morou no Japão durante vários anos. Saudoso, relembra que “a dificuldade era fazer enikki durante as férias, quando a gente não queria saber da escola e dos estudos, mas foi importante para treinar a redação”.

O Concurso Bunkyo-Ciate: “Decasségui 30 Anos: Nossas Vivências” deseja reunir trabalhos que abordem situações que envolvam as experiências do dia-a-dia, as reflexões sobre a vivência no Japão e/ou Brasil, ou outras passagens relevantes.

O formato para a apresentação do trabalho é o “enikki” que combina texto e ilustração e tem sido adotado no ensino fundamental.  O enikki já era utilizado desde a Era Heian (794/1185) como meio para a nobreza descrever acontecimentos passados e/ou registrar as paisagens de suas viagens. Também foi muito empregado por cientistas e estudiosos para ilustrar costumes e culturais diferentes de outros países.

Atualmente, há um grande incentivo para que, não somente as crianças, como também os adultos adotem o enikki como forma de expressão. Ou seja, a ilustração como complemento das palavras para melhor expressar aos pensamentos e/ou sentimentos.

O Concurso é aberto a todas as pessoas, de qualquer idade, residentes no Brasil ou no exterior.

Como se trata de uma adaptação do enikki, ao invés de usar os tradicionais papeis “genko yoshi”, os trabalhos deverão ser apresentados em formato A4 (210cmx297cm), em até 5(cinco) páginas, incluindo texto e ilustração já devidamente montados.

 

 

Os trabalhos devem ser enviados por meio digital, acompanhados da ficha de inscrição preenchida para o email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A inscrição é gratuita e o prazo vai até 28 de dezembro de 2020. O vencedor será premiado com um notebook e os melhores trabalhos, a critério da Comissão Julgadora, farão parte de uma antologia alusiva aos 30 anos a ser publicada pelas entidades organizadoras.